Plenária debate reivindicações da carreira

PGR e SGU estiveram presentes

Na manhã do dia 1º, ocorreu a reunião Plenária do 33º ENPR. Participaram do encontro o presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot; o Secretário-Geral do MPU, Blal Yassine Dalloul, e associados. Também compuseram a mesa os diretores: Anamara Osório (Financeiro), Ângelo Villela (Assuntos Parlamentares), Cristina de Melo (Eventos) e Zani Cajueiro (Cultural).

Robalinho deu início à reunião com uma apresentação do Congresso Técnico dos Procuradores da República, evento que será realizado no primeiro semestre do ano que vem. Ele conclamou os associados a participarem das discussões e das relatorias temáticas. "Muitas das teses que ajudaram a moldar a instituição que temos hoje surgiram de discussões internas, que pretendemos voltar estimular nesse evento", explicou.

Durante a Plenária, o Procurador-Geral e o Secretário-Geral abordaram questões remuneratórias - como o reajuste dos subsídios, o auxílio-moradia e a valorização por tempo de magistratura. A reestruturação dos gabinetes e a transformação dos cargos CC-2 em CC-4 também foram discutidas.

Em primeira mão, Rodrigo Janot anunciou que está trabalhando em um anteprojeto de lei com o Executivo para criar uma procuradoria nacional anticorrupção. Ele assegurou que a proposta será discutida internamente com a carreira e que será preservado o princípio do promotor natural.

Questionado sobre como irá funcionar o teletrabalho, o Secretário-Geral explicou que a Administração está desenvolvendo sistemas que viabilizem não somente o trabalho à distância como o controle da jornada de trabalho. Segundo ele, inicialmente, será lançado projeto piloto na PGR. "É importante chegarmos rápido até a ponta, mas isso tem que acontecer de forma segura", disse.