Nota Pública

ANPR esclarece Lista Tríplice para PGR

Em face da nota "Temer sonda base sobre possibilidade de ignorar lista tríplice para sucessor de Janot", publicada hoje, 13, na coluna "Mônica Bergamo", do jornal Folha de S. Paulo, a Associação Nacional dos Procuradores da República, assim esclarece:

Brasília (13/04/2017) - A Lista Tríplice para o cargo de Procurador-Geral da República, encaminhada aos chefes de Estado brasileiros pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), representa a escolha de mais de 1200 membros do Ministério Público Federal (MPF).

Rodrigo Janot foi escolhido Procurador-Geral da República após figurar em duas delas. Rodrigo Janot sabe quanto o processo de formação da lista forja a liderança de um Procurador-Geral na categoria e endossa à sociedade a fidelidade de um escolhido aos valores constitucionais, republicanos e democráticos que inspiram o trabalho de todos os Procuradores da República.

Rodrigo Janot - que outrora presidiu a ANPR - não encerraria sua indelével trajetória no Ministério Público Federal construindo um sucessor em conchavos palacianos. Estes criariam uma crise institucional e uma desconexão entre o PGR e os procuradores - qual ele conheceu na sua juventude ao ingressar no MPF antes da redemocratização do Brasil e a definitiva autonomia do Ministério Público.

A defesa do regime democrático que a Constituição confia a todos os membros do Ministério Público, entre esses Rodrigo Janot como primus inter pares, não consente a colocação de pessoas acima de Instituições, nem de nomes a margem de eleições.

Humberto Jacques de Medeiros
Subprocurador-geral da República
Presidente em exercício da ANPR