Raquel Dodge é aprovada em sabatina na CCJ do Senado

A decisão foi unânime

Por unanimidade, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal aprovou a indicação de Raquel Elias Ferreira Dodge para o cargo de Procuradora-Geral da República, nesta quarta-feira, 12. O nome de Raquel segue agora, em regime de urgência, para apreciação no Plenário. A previsão é que a votação aconteça ainda hoje.

Durante a sabatina, Raquel Dodge afirmou que vai trabalhar com bastante serenidade. “Buscarei agir com firmeza, equilíbrio e confiança, com imparcialidade, de modo coerente com a atitude que adotei em toda minha carreira profissional”, afirmou.

A subprocuradora-geral da República ressaltou a importância de se manter o diálogo entre as instituições. "Minha diretriz de atuação é a ideia de que ninguém esteja acima da lei e ninguém esteja abaixo da lei", acrescentou.

O combate à corrupção foi outro tema destacado pela indicada. “O enfrentamento da corrupção continuará a ser prioridade do Ministério Público Federal”, afirmou. “A corrupção desvia dinheiro público de serviços essenciais, diminui a competitividade e aumenta o fosso da desigualdade social no país”, completou. Ao ser questionada sobre os rumos da Lava Jato, ela adiantou que dará continuidade ao trabalho e que se for preciso ampliará o grupo de trabalho.

Diversos parlamentares ressaltaram o fato de Raquel ser a primeira mulher indicada para o cargo de Procurador-Geral da República. A senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM) propôs uma parceria com a bancada feminina da Casa.

Segundo o senador Roberto Rocha (PSB-MA), relator da indicação, Raquel Dodge é protagonista de fatos relevantes e tem um currículo notável, tanto profissional quanto acadêmico. “Sua experiência é inquestionável em matéria penal, mas não menos em relação a questões cíveis, em geral, e de tutela coletiva, em especial”, salientou.

Foram mais de sete horas de sabatina e a subprocuradora-geral da República respondeu sobre os mais diversos temas: políticas de gênero, abuso de autoridade, fim do foro por prerrogativa de função, questões remuneratórias, interlocução com os demais Poderes, atuação no Supremo Tribunal Federal, direitos fundamentais, combate à corrupção, vazamento de informação, melhorias no Código de Processo Penal e estrutura do MPF.

Marcaram presença na sessão o presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, o vice-presidente, Humberto Jacques de Medeiros, e os diretores Alan Mansur, Anamara Osório, Anderson Lodetti, Caroline Maciel, Celso Roberto da Cunha Lima, José Schettino, Livia Tinoco, Paulo Santiago e Rodrigo Tenório. Os ex-procuradores-gerais da República Roberto Gurgel e Aristides Junqueira também estiveram presentes, bem como diversos membros do MPF, entre eles os candidatos à Lista Tríplice para PGR Carlos Frederico Santos, Franklin Rodrigues da Costa e Sandra Cureau.

Mestre em direito pela Universidade de Harvard e integrante do Ministério Público Federal há 30 anos, Raquel Dodge é subprocuradora-geral da República e atua em matéria criminal no Superior Tribunal de Justiça.

Confira a íntegra da sabatina: https://youtu.be/b1XU50GnBUE.

Lista Tríplice - A indicação da subprocuradora-geral da República Raquel Dodge foi anunciada pelo presidente da República, Michel Temer, no dia 28 de junho, logo após receber a Lista das mãos do presidente ANPR, José Robalinho Cavalcanti.