Membros do MPF são homenageados por 50 anos de serviço público

Os homenageados ficaram satisfeitos com o reconhecimento das cinco décadas de trabalho.

Quatro membros do Ministério Público Federal foram reconhecidos por cinquenta anos de trabalho dedicados ao serviço público: Haroldo Ferraz da Nóbrega (PGR), Wallace de Oliveira Bastos (aposentado PGR), Helenita Amélia Gonçalves Caiado de Acioli (aposentada PGR) e Gilson Gama Monteiro (PR/SE). A honraria está prevista no Decreto Presidencial nº 51.061, de 27 de julho de 1961, que concede Medalha-Prêmio ao servidor público que completa 50 anos de serviço público. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira, 1º, no Memorial do MPF, em Brasília (DF).

O presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, participou da solenidade. Ele ressaltou a importância desse reconhecimento. “São cinquenta anos de dedicação e trabalho em favor da sociedade. Esses colegas merecem todos os nossos aplausos e condecorações. A contribuição que deram ao nosso país é imensurável”, disse.

A justa homenagem foi destacada no discurso do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. Segundo ele, o serviço público é vocacionado a atender o Estado. “Elevemos nossa autoestima para que sirva de estímulo para que outros servidores públicos continuem a se dedicar para o desenvolvimento do país, para a excelência do serviço que prestamos”, conclamou. Janot finalizou lembrando que o MPF é um serviço público por excelência e que esses colegas são exemplos vivos do que é dedicação à sociedade brasileira.

Os homenageados ficaram satisfeitos com o reconhecimento das cinco décadas de trabalho. Para o subprocurador-geral da República Haroldo Ferraz, a medalha mostra a tenacidade de seu trabalho. “Trabalhei tanto no MP estadual, quanto no Federal. Foi um trabalho constante, em defesa da ordem jurídica e democrática, por isso fico satisfeito”, analisou.

A defesa do interesse público sempre foi o lema do subprocurador-geral da República aposentado Wallace Bastos. De acordo com ele, a Medalha-Prêmio veio como recompensa pelo amor com que sempre se dedicou ao serviço público. “Meu grande estandarte sempre foi defender o estado que, por si só, não existe se não for pela manifestação de seus defensores, especialmente pela ação do MPF”, ressaltou.

A subprocuradora-geral da República aposentada Helenita Acioli não pôde comparecer, mas foi representada pelos filhos. O procurador regional da República Bruno Caiado Acioli (PRR1) destacou a trajetória da mãe. “É um legado que pretendemos levar adiante. São cinco décadas voltadas para o bem comum, para o serviço público em prol do outro”, afirmou.

O procurador regional da República Gilson Monteiro não pôde estar presente. Dois servidores do MPF também foram agraciados, mas não compareceram: Abrahão Azar e Maria José Silva Costa.

Os ex-procuradores-gerais da República Roberto Monteiro Gurgel Santos, Antonio Fernando Barros e Silva de Souza e Geraldo Brindeiro marcaram presença na solenidade.

Após a entrega das medalhas, a foto de Roberto Gurgel foi fixada na galeria de ex-procuradores-gerais da República.

Saiba mais - A solenidade atende a um pedido feito pela ANPR em 2016. À época, a subprocuradora-geral da República aposentada Helenita Acioli destacou a existência do Decreto Presidencial nº 51.061. Com isso, a Associação encaminhou ofício ao PGR, Rodrigo Janot, ressaltando a lista de antiguidade do MPF que havia sido publicada no Diário Oficial da União e rememorando o decreto. A administração atendeu prontamente à solicitação da ANPR.