Prêmio Innovare: Comissão Julgadora faz reunião no Rio de Janeiro

Mais de 700 iniciativas foram avaliadas

O presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, participou da reunião da Comissão Julgadora do Prêmio Innovare nesta sexta-feira, 20. No encontro, as iniciativas foram avaliadas conforme critérios de eficiência, celeridade, qualidade, criatividade, praticidade, ineditismo, exportabilidade (potencial capacidade de disseminação da prática ou de um conjunto de práticas), satisfação do usuário, alcance social e abrangência territorial. Os vencedores receberão troféus e menções honrosas e terão suas ações divulgadas no site do Instituto Innovare.

O Prêmio Innovare deste ano vai agraciar, na categoria especial, pratica que busque aprimorar o sistema penitenciário. Contudo, a premiação vai além e tem outras seis categorias, que totalizam 711 inscritos. O objetivo é identificar e divulgar projetos inovadores no sistema de Justiça, para que possam ser replicados por todo o Brasil.

Compõem o Conselho Superior da premiação: ministro Carlos Ayres Britto, o secretário nacional de Justiça e Cidadania do Ministério da Justiça, Gustavo Marrone, a presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP), Norma Angélica Cavalcanti, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, a juíza Renata Gil, representando a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Defensora Pública Thaísa Oliveira, representando a Associação Nacional dos Defensores Públicos (ANADEP), o juiz federal Eduardo André Brandão de Brito Fernandes, representando a Associação dos Juízes  Federais do Brasil (AJUFE) e o Luís Claudio da Silva Chaves representando o Conselho Federal da OAB.

Saiba mais - Lançado em 2004, o Prêmio Innovare identifica, premia e divulga as iniciativas que contribuem para o bom funcionamento e a modernização da Justiça. Desde a primeira edição, foram analisadas pela comissão julgadora mais de 5 mil práticas de todos os estados brasileiros.