Comissão julgadora do Prêmio CNMP 2018 define etapas do processo de avaliação

A novidade este ano é que os jurados poderão preencher as notas digitalmente e encaminhá-las por e-mail

Nesta quarta-feira, 11, o presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, participou da primeira reunião da Comissão Julgadora do Prêmio CNMP 2018. Durante o encontro, os representantes de subcomissão julgadora entregaram o material com os projetos concorrentes e explicaram as regras do processo avaliativo.

A novidade este ano é que os jurados poderão preencher as notas digitalmente e encaminhá-las por e-mail. Os critérios de avaliação são ?Alinhamento do projeto ao PEN?, ?Qualidade?, ?Resultado alcançados? e ?Transformação social?. A premiação recebeu, nesta edição, a inscrição de 686 projetos.

A comissão julgadora foi dividida em nove subcomissões referentes a cada uma das categorias: Defesa dos Direitos Fundamentais; Transformação Social; Indução de Políticas Públicas; Redução da Criminalidade; Redução da Corrupção; Unidade e Eficiência da Atuação Institucional e Operacional; Comunicação e Relacionamento; Profissionalização da Gestão; e Tecnologia da Informação.

A partir das notas, cinco projetos, em cada categoria, passarão à segunda fase, totalizando 45 iniciativas. A divulgação dos selecionados para a 2ª fase está prevista para 20 de junho. Os jurados definirão em 1º de agosto, entre os 45 concorrentes, os três finalistas de cada categoria. Os vencedores serão conhecidos em 12 de setembro, durante a solenidade de abertura do 9º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público.

Prêmio CNMP

A premiação foi criada para dar visibilidade aos programas e projetos do Ministério Público brasileiro que mais se destacam na concretização dos objetivos do Planejamento Estratégico Nacional do MP. Desde o início, há a participação dos quatro ramos do Ministério Público da União (MPU) e de todas as unidades estaduais.