MPF participa do II Congresso do Ministério Público da Guiné-Bissau

O objetivo é que os participantes do projeto se tornem replicadores das habilidades e conhecimentos adquiridos

Aconteceu, nos dias 23 e 24 de maio, o II Congresso do Ministério Público da Guiné-Bissau,  na capital do país africano de língua portuguesa. Na ocasião, foi realizada a última etapa do Projeto Fortalecimento das Capacidades do Ministério Público, em que mais de 100 membros do Ministério Público do país africano foram capacitados em técnicas de investigação no combate à corrupção, tráfico de drogas, entre outros crimes. O projeto é fomentado pela Secretaria de Cooperação Internacional (SCI) do Ministério Público Federal (MPF), pela Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU) e pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE).

A coordenadora do projeto, a subprocuradora-geral da República Maria Hilda Marsiaj Pinto, destacou a importância da formação, que aborda temas ligados a áreas prioritárias para o país, como o combate à criminalidade transnacional e a proteção dos direitos humanos. O objetivo é que os participantes do projeto se tornem replicadores das habilidades e conhecimentos adquiridos.

Para Maria Hilda, a experiência no país africano foi desafiadora e enriquecedora para ambas as partes. ?A equipe de capacitadores doou o melhor de si, em verdadeiro espírito missionário. Concluir a etapa deste projeto iniciado em 2015 e colher dos procuradores guineenses o testemunho do impacto que as aulas tiveram em seu trabalho faz com que todas as dificuldades se esvaneçam ante a satisfação do resultado?, destacou a coordenadora.

Também participaram do encerramento do projeto a vice-procuradora-geral da República de Guiné-Bissau, Tereza Alexandrina Silva, e o presidente do Sindicato dos Procuradores guineenses, Domingos Martins. Eles destacaram os resultados positivos da capacitação, que a longo prazo vai contribuir para o aprimoramento da persecução penal no país, em benefício da população.

O diretor de Assuntos Legislativos da ANPR, procurador regional da República Vladimir Aras, agradeceu ao convite da associação congênere para prestigiar, mas lamentou não poder comparecer. Ele destacou a importância da iniciativa para o fortalecimento dos ministérios públicos lusófonos e dos laços entre Brasil e África.

Com informações da Secom/PGR