ANPR passa coordenação da Frentas para a Anamatra

A Frentas representa cerca de 40 mil juízes e membros do MP em todo o Brasil

O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, transferiu, nesta quarta-feira (29), a coordenação da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (Frentas) para o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Guilherme Feliciano. A Frentas representa cerca de 40 mil juízes e membros do Ministério Público em todo o Brasil.

Os presidentes das associações agradeceram o período de condução dos trabalhos pela ANPR e destacaram o caráter agregador e diplomático de Robalinho na hora das divergências. O presidente da ANPR ressaltou a colaboração dos colegas, os desafios superados e as conquistas e fez uma reflexão sobre a importância da união das entidades nas discussões perante o Supremo, o Legislativo e a sociedade. “Fomos percebendo e construindo essa unidade, ao reconhecermos a importância do trabalho unificado. As magistraturas brasileiras hoje têm uma identidade, que é a Frentas. Nós somos a face dos nossos 40 mil associados”, afirmou.

Ao assumir a coordenação, Guilherme Feliciano comprometeu-se com uma coordenação firme, coerente e transparente. “O meu compromisso é o de tentar ser o mais dialógico e transparente possível. O mais importante é agirmos em uníssono. A Frentas só faz sentido nesse contexto. Há muito mais naquilo que nos une do que no que nos divide”, disse.

Deliberação

Após a cerimônia de passagem da coordenação, a Frentas reuniu-se para deliberar a atuação do semestre em temas como o reajuste de subsídio de ministro do STF, a desvinculação do funcionalismo em relação ao teto constitucional, entre outros. Os dirigentes também iniciaram a discussão em torno da possibilidade da realização de um Simpósio Nacional da Frentas para o Sistema de Justiça.

Além da ANPR e da Anamatra, integram a Frentas a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação dos Magistrados do DF e Territórios (Amagis-DF), a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), a Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Militar (ANMPM).