Força-tarefa da Lava Jato recebe premiação internacional

Por meio da indicação da ANPR, equipe foi agraciada na Conferência Anual da IAP

 
Nesta quarta-feira (12), a Força-Tarefa (FT) da Operação Lava Jato recebeu o “Special Achievement Award” (Prêmio por Realização Especial em tradução livre), durante a 23ª Conferência Anual da International Association of Prosecutors (IAP), em Joanesburgo, África do Sul. A premiação reconheceu o trabalho dos 47 procuradores da República que, desde 2014, atuam em Curitiba, no Rio de Janeiro e em Brasília na maior operação de combate à corrupção já realizada na América Latina.
 
O presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, e as procuradoras da República Marisa Ferrari, Fabiana Schneider e Maria Clara Noleto acompanharam a cerimônia. O presidente da ANPR parabenizou os colegas e externou o orgulho da Associação pelo trabalho desempenhado pela FT. “É mais um reconhecimento, mas é especialmente importante por vir da maior associação internacional de membros do Ministério Público, e por ser o reconhecimento do trabalho especial e do altíssimo padrão da Lava Jato”, celebrou.
 
A procuradora Fabiana Schneider lembrou que, a partir da investigação de um esquema local de lavagem de dinheiro, a Lava Jato tornou-se uma das maiores investigações da história da América Latina. “Nós processamos e obtivemos sentenças duras contra alguns dos mais poderosos membros da elite econômica e política do país. A vigilância contra a corrupção é maior agora e tem o apoio da opinião pública. Nossa tarefa não é simples. Nós buscamos mudar hábitos desonestos que cedem de maneira dolorosa”, afirmou.
 
A indicação da Operação à premiação foi capitaneada pela ANPR. Para Robalinho, o reconhecimento da associação internacional, que reúne membros do MP de todo o mundo, demonstra a centralidade da Lava-Jato no quadro global de combate à corrupção.
 
Memória
Em 2013, durante a Conferência Anual de Moscou, a IAP concedeu o Prêmio por Realização Especial à equipe da Procuradoria-Geral da República do Brasil, como reconhecimento pela excelência dos trabalhos realizados durante a investigação, o processo e o julgamento do histórico caso do Mensalão.
 
No ano seguinte, o trabalho desempenhado pelo MPF voltou a ser reconhecido pela organização internacional. Indicadas pela ANPR e a Procuradoria-Geral da República, duas iniciativas foram premiadas: Justiça de Transição e Carne Legal. A premiação ocorreu durante a 19ª Conferência Anual da entidade, em Dubai (Emirados Árabes Unidos), na presença de mais de 600 procuradores de 100 países. Todas as indicações foram enviadas pela ANPR.
 
A IAP congrega e representa mais de 170 procuradorias-gerais e associações de classe ao redor do mundo e atua como órgão consultivo da Organização das Nações Unidas (ONU) em matérias afetas ao funcionamento dos Ministérios Públicos, bem como aos direitos e garantias de seus membros.