X Prêmio República: combate à pornografia infantil vence na categoria Combate ao Crime e a Outros Ilícitos

O projeto “Operação Lobos” ficou emk 1º lugar na categoria Combate ao Crime e a Outros Ilícitos do X Prêmio República.  A iniciativa vencedora traz uma atuação do Ministério Público Federal (MPF) no combate à exploração sexual de menores e à pornografia infantil na Deep Web, camada mais oculta na internet. O trabalho da instituição – com a parceria de forças policiais de vários países, apresentou como um dos resultados a prisão de um brasileiro.

“O aprofundamento da primeira investigação levou a descobrirmos que o responsável - segundo estatísticas do FBI, por aproximadamente 70% do conteúdo de pornografia infantojuvenil de toda a Deep Web no mundo era outro brasileiro. Ele mantinha fóruns de pornografia infantil, ao menos desde 2013 e tinha mais de um 1,8 milhão de usuários registrados em seus serviços. Foi possível prender e processar esse brasileiro, em 2019, e aprender em seu poder vasto material relativo a esse crime”, destacou o autor do projeto, Pedro Jorge do Nascimento Costa.

A menção honrosa da categoria ficou com o "Portal E-Evidence - Portal de Provas Eletrônicas”, uma plataforma digital, acessível pelos membros e servidores do Ministério Público Federal que, além de reunir, de forma sistematizada e amigável, informações necessárias e úteis para a coleta de provas eletrônicas, traz orientações a seguir nas investigações relativas às principais funcionalidades contidas na internet, tais como rede social, aplicativos, sites e serviços de mensageria.

A “Operação Kryptos”, que desmantelou um esquema de crimes contra o sistema financeiro e resultou na maior apreensão de criptoativos até a atualidade, ficou em segundo lugar. E, em terceiro lugar, ficou o projeto “Aprimoramento da Auditabilidade dos Gastos em Saúde realizados por entidades do Terceiro Setor no Estado de Pernambuco em Tempos de Pandemia”, que reúne medidas administrativas e extrajudiciais do Ministério Público Federal em Pernambuco (MPF-PE) em colaboração com o Ministério Público do estado de Pernambuco (MPPE) e com o Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO-PE), com a finalidade de intensificar o controle e auditabilidade dos gastos realizados por entidades do terceiro setor de saúde, por parte dos órgãos de controle internos e externos.

 

 


Imprimir   Email