Reunião do colégio de delegados discute perspectivas para 2023 e define comissões

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) deliberou, nesta quinta-feira (1º/12), durante o último encontro do Colégio de Delegados de 2022, em Brasília, pela criação de comissões para intensificar a interlocução entre a entidade e o poder legislativo. Durante a reunião realizada de forma híbrida os participantes fizeram, ainda, um balanço das atividades deste ano e discutiram perspectivas para 2023.

O objetivo é que grupos de associados capacitados a dialogar com parlamentares atuem em conjunto com a diretoria de Assuntos Legislativos da entidade, setor que desenvolve um trabalho vigilante de acompanhamento de proposituras relevantes à carreira e ao Ministério Público Federal (MPF) em tramitação no Congresso Nacional.

Na oportunidade, os participantes trocaram ideias para aprimorar os serviços oferecidos pela associação e estimular uma maior participação dos associados. Também estiveram em pauta questões como orçamento, cronograma de eventos e assuntos de natureza remuneratória.

O presidente Ubiratan Cazetta, ao abordar conquistas da entidade e desafios, ressaltou a importância da reunião do colégio de delegados como espaço de trocas e interação. O retorno de vários ex-associados à ANPR, nos últimos meses, foi apontado por ele como sinal de que a associação está no caminho certo ao adotar um modelo democrático de gestão, que respeita e valoriza a pluralidade dos membros.

“Acho que a associação tem resgatado o sentimento de pertencimento. E isso é mérito não só da diretoria. O associado tem voltado a perceber que a ANPR é nossa”, destacou Ubiratan Cazetta.


Imprimir   Email